BLOG

Aqui você encontra mais informações sobre propriedade industrial,

com a análise de quem é especialista no assunto. 

VOLTAR
Saiba por que é necessário patentear o seu produto

Saiba por que é necessário patentear o seu produto

A patente, como já falamos outras vezes, é um documento que dá o título de propriedade para determinada invenção. Você, como autor de alguma criação, não gostaria de vê-la sendo copiada pela concorrência, certo? É por isso que patentear um produto é necessário!

Assim como para o registro de marcas, a patente de produto passa por alguns fatores de validação. Esses aspectos precisam ser verificados com atenção para que o documento seja concedido e garanta a exclusividade de sua inventividade.

É sobre isso que vamos falar no post de hoje! Você vai entender de modo mais explicativo por que o processo é importante e quais os passos para realizá-lo.

Continue a leitura para saber mais!

Por que é necessário patentear um produto ?registro de marca de patentes

Pensa bem, você dedica horas do seu tempo e trabalho para criar algo inovador, que acredita que irá impulsionar o seu negócio ou que terá boas chances de ser aplicado na indústria. Isso merece um grande reconhecimento, não acha?

O processo de patente te garantirá o título de propriedade e autoridade sobre essa invenção, impedindo que terceiros a utilize sem o seu consentimento. Aliás, devemos ressaltar que, para patentear um produto, é preciso que ele seja realmente novidade no mercado. Daí a importância da classificação dos tipos de patentes, que já tratamos em um artigo anterior.

Tendo documentado que determinada atividade inventiva é de sua autoria, todo o direito de exploração é transferido apenas para você. A não ser que se faça um acordo legal para que outros possam utilizá-lo também.

Deu para entender melhor por que é fundamental patentear o seu produto? Saiba, então, como dar início no processo!

Passo a passo básico de como patentear um produtocerebro humano com fundo com luzes

Agora que já esclarecemos a essencialidade desse título, é hora de conferir o passo a passo para efetivá-lo. Dá uma olhada:

  1. Verifique se o seu produto pode ser patenteado

Antes de começar o procedimento, é muito importante pesquisar se já não existe um produto igual ao seu, pois isso te tira o direito de patenteá-lo, afinal, ele tem de ser considerado uma atividade inventiva. Além do mais, para patentear uma criação, ela precisa ser aplicável na indústria.

No site do INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial, você consegue verificar se a sua invenção se enquadra na lista do que pode e o que não pode ser patenteado.

  1. Faça o pedido da patente

Com base nos formulários enviados pelo INPI, descreva informações consistentes sobre a sua criação em um modelo de carta. Esse documento é imprescindível, porque irá analisar a proposta da sua atividade. Por isso, nesse instante, vale a pena contar com a ajuda de um especialista.
Para elaborar, informe: o título do invento, a qualificação do titular e tudo o que puder para detalhar o produto.

  1. Envie o pedido

Depois de ter escrito a carta, você deve depositar o pedido. O documento ficará em sigilo por um tempo - em torno de 1 ano e meio -  até que as pessoas possam conhecer a sua criação por meio da publicação da Revista de Propriedade Industrial (RPI), no INPI.

A análise da solicitação começa somente após 60 dias, mesmo que você tente adiantá-la. É um requisito instituído pelo próprio órgão responsável.

  1. Pague a taxa do pedido

Seguindo os 60 dias, você terá de fazer o pagamento de uma taxa e pedir a sua carta-patente. Essa carta é um tipo de comprovante que afirma seus direitos sobre a invenção.

Além da taxa do pedido, outros custos serão gerados. Verifique todos os valores e faça os pagamentos em dia para que nada saia errado.

Informe-se e busque ajuda com um especialista!

Para qualquer dúvida que surgir em relação ao processo, você pode consultar o próprio INPI e recorrer a área de dúvidas frequentes ou entrar em contato com o órgão.

No entanto, é muito importante contar com o auxílio de um especialista no assunto, principalmente no momento de elaborar a carta e analisar se o seu projeto tem possibilidade de ser validado e aceito.

A AtlasPI, por exemplo, é uma empresa especializada em registro de marcas e patentes, totalmente apta a te ajudar com o procedimento. Entre em contato conosco, explique o seu caso e podemos encontrar o melhor caminho para proteger a sua atividade inventiva.

Para conferir outros artigos com temas relacionados, é só continuar acompanhando nosso blog. Toda semana publicamos uma nova postagem repleta de informações sobre esse universo.

    Nemo enim ipsam voluptatem quia voluptas sit aspernatur aut odit aut fugit, sed quia consequuntur magni dolores eos qui ratione voluptatem sequi nesciunt. Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit, sed quia non numquam eius modi tempora incidunt ut labore et dolore magnam aliquam quaerat voluptatem. Ut enim ad minima veniam, quis nostrum exercitationem ullam corporis suscipit laboriosam, nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur? SAIBA MAIS

    SOBRE ATLAS E GESTÃO 360°